©
Sem dramas, sem dores, sem excessos, sem desamores.
Encontrei a solução para o meu caos, eis o melhor de mim.
by Libertarde 

(Source: libertarde)

Terapia para caos interior

Nada de sangrar teus braços, isso vai contra as regras dessa terapia poética. Sangre as moléculas de papel, rompe a saturação, crave a tesoura e o destrua em linhas verticais
Se puderes tirar penas da almofada, tire. Morde com força, aperte, soque, pise, afunde a cara, desabe em lágrimas. 
Masturbe-se. Faça sexo contigo mesmo, alcance o gemido mais alto seguido de um orgasmo único. 
Ame teu espelho, tuas neuras, teus amores.
Marginalize-se. Ouça na vitrola o delírio lisérgico dos Mutantes.
Invoque o niilismo de Sartre e ao som de Dune Buggy passe a língua nas cordas do violão. 
Exorcize a rotina, o dinheiro, a passagem do metro, mate uma semana de trabalho, mergulhe no teu próprio caos.
Sacode o corpo todo batendo os pés no chão, quebre a tua superfície congelada. Salve um peixe, desvie a roseira da multidão.
Liberte seu espírito e voe. Entre nu no palco declarando bem alto as tuas incertezas e no minuto seguinte em silêncio deslize suas mãos das pontas dos pés aos quadris, sinta a umidade dos poros, o arrepio dos pelos, leve a platéia à loucura.
Pinte as cortinas do seu quarto, deixe brotar do peito tuas raízes, refloreste tuas mãos, mude de signo, de canção, plante ervas no porão.
Se fores morrer, morra começando tudo de novo, mude até seu rg, gosto de Luisa, Vinícius, Cecília e João.
Suicídio, dor externa e cia: são coisas de sociopata dramático que não consegue lidar com as astúcias da vida.

Fim de sessão. 

Nathália Rizzo e Elisa Bartlett.

(Source: estorvosliterarios, via oxigenio-dapalavra)

ivvvoo:

MT. Moran by kylesipple☬
O futuro a outros pertence

Eu sou o escritor
Ou o escrito
Ou a imagem criada por um crítico
Uma unanimidade ou alguém com um público seleto
Conte me poema
O eterno aqui é você
Eu sou carne, músculo, osso e efemeridade
Eu nem gosto do meu rosto

(Source: stoplelepipedo)

sobre os acasos

É engraçado como algumas pessoas mudam a sua vida. A forma como elas são capazes de abalar os alicerces de seu destino, de desviar sua estrada, de mostrar um novo conceito de si mesmo. É engraçado porque existem cerca de sete bilhões de pessoas no planeta, e quando você cruza seu caminho com uma delas você pode estar comprometendo tudo que o cosmos e o caos organizaram para o seu destino.

 

 

 

 

Uma chance entre sete bilhões.

 

portuária

(Source: portuaria)

historicaltimes:

Lisbon metro in 1960